Vendas do Brasil para o país vizinho devem recuar

 

O Brasil deverá sofrer com a crise econômica argentina neste e no próximo ano, principalmente em suas exportações. Terceiros maiores parceiros comerciais do País, depois de China e Estados Unidos, a Argentina tende a reduzir suas importações pela recessão em que deve mergulhar e pela desvalorização de sua moeda, que torna os produtos de fora mais caros.

 

“Deveremos ter forte queda das exportações para a Argentina em 2018 e em 2019. O Fundo Monetário Internacional (FMI) não vai dar dinheiro se o país continuar gastando. O governo terá de transformar seu déficit comercial em superávit, o que significa reduzir importações”, diz o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil, José Augusto de Castro.

 

O setor de manufaturados, principalmente o automotivo, será o mais prejudicado – hoje, 20% dos embarques brasileiros de manufaturados têm o país vizinho como destino. Entre maio e julho, período em que a turbulência financeira começou, as vendas de veículos do Brasil para a Argentina caíram 23% na comparação com o mesmo período de 2017. Nos quatro primeiros meses deste ano, as exportações cresceram 11,6%.

 

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), nos últimos quatro meses, houve desaceleração nas vendas brasileiras para a Argentina. De janeiro a agosto, as exportações para a Argentina ainda registraram crescimento, mas de apenas 0,5%.

 

“Estamos observando a situação com atenção e esperamos que os desafios do lado argentino sejam vencidos com a maior rapidez possível, o que é do interesse do Brasil”, disse Abrão Neto, secretário de Comércio Exterior do Mdic.

Please reload

Notícias Recentes

Please reload

Notícias por mês

Please reload

Tags

Please reload

 

Rua Geraldo Flausino Gomes, 42 - 5º andar | Brooklin Novo | São Paulo - SP 04575-060

Tel. (11) 5102-5656 | abrahy@abrahy.com.br

©2018 ABRAHY. criado pela TR2 Art + Design