Tags

Monitor da FGV indica crescimento do PIB no trimestre

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV) já avalia elevar suas projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deste ano e de 2020, por conta do desempenho positivo da atividade econômica neste terceiro trimestre.

De acordo com o Monitor do PIB, divulgado ontem pela FGV, o indicador cresceu 0,3% na passagem de agosto para setembro. O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo cálculo oficial das contas nacionais.

Por ora, o Ibre espera um crescimento de 1,1% no PIB de 2019, seguido por um avanço de 2,0% em 2020. Mas os números devem ser revistos para cima após o IBGE divulgar os dados das contas nacionais referentes ao terceiro trimestre – no próximo dia 3 de dezembro –, afirmou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB.

“Eu fiquei um pouco mais otimista com os resultados deste trimestre, achando que a economia está voltando a crescer e pode estar abandonando essa armadilha do baixo crescimento”, afirmou Considera.

Em termos monetários, o PIB estimado pela FGV alcançou R$ 5,395 trilhões, em valores correntes, no acumulado de janeiro a setembro deste ano.

O Monitor mostrou ainda alta de 0,1% da atividade no terceiro trimestre do ano, ante o segundo trimestre. No período, houve crescimento no PIB de serviços (0,2%) e no PIB agropecuário (1,1%). O PIB industrial, porém, ficou estagnado, puxado por uma queda de 1,6% na indústria de transformação. “A indústria de transformação está sofrendo por causa da crise argentina”, disse Considera.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, os números da economia soam mais animadores. A atividade econômica, de acordo com a pesquisa da FGV, cresceu 2,1% em setembro deste ano em relação ao mês de setembro de 2018. No terceiro trimestre de 2019, houve expansão de 0,9% ante o terceiro trimestre de 2018.

“Os resultados estão bastante bons, e acho que uma parte disso vem de uma melhora que começa a aparecer na economia mundial”, afirmou Considera. “E aprovar a reforma da Previdência foi um feito, e tem também as outras reformas vindo aí.”

Sob a ótica da demanda, o consumo das famílias cresceu 1,9% no terceiro trimestre em comparação ao mesmo trimestre de 2018. A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, medida dos investimentos no PIB) aumentou 2,5%. As exportações recuaram 4,7%, enquanto as importações avançaram 2,1%.

Os resultados do Monitor do PIB para o terceiro trimestre já incluem as informações do PIB definitivo de 2017, divulgado recentemente pelo IBGE e que será incorporado pelo instituto na divulgação do PIB trimestral.

 

Rua Geraldo Flausino Gomes, 42 - 5º andar | Brooklin Novo | São Paulo - SP 04575-060

Tel. (11) 5102-5656 | abrahy@abrahy.com.br

©2018 ABRAHY. criado pela TR2 Art + Design