top of page

7 inovações capazes de impulsionar o mercado de veículos elétricos


Primeiro sistema elétrico para transporte de carga da América do Latina inaugurou nova etapa para o segmento de semirreboques, caminhões e ônibus


Muito se fala em eletrificação na indústria automotiva. Mas os holofotes vão para os carros de passeio. Só que é o segmento de pesados que move a economia. E, no setor que movimenta 65% de tudo que o país produz, há uma série de inovações em curso para impulsionar o mercado de veículos comerciais elétricos e híbridos.

Um grande exemplo desse movimento vem da Suspensys. Em 2019 a empresa apresentou um inédito sistema de tração elétrico na Fenatran e, em 2022, lançou oficialmente o e-Sys, que abriu novos caminhos e tendências para o setor de veículos comerciais e de movimentação de carga do país.

Desenvolvido pela companhia que é parte da Randoncorp, o primeiro sistema de tração elétrico para veículos comerciais elétricos e híbridos da América Latina trouxe não só inovação, como também competitividade e tecnologia de ponta para o país na questão da eletrificação e da mobilidade sustentável, aliados à economia circular.

A seguir, listamos como o lançamento do sistema e-Sys colocou o Brasil em uma nova era da eletromobilidade global. Além disso, apontamos sete movimentos do mercado que vão acelerar inovações nessa área para o setor de veículos comerciais, de carga e passageiros.

1- Fornecedores brasileiros focam em soluções para problemas locais

No lugar de aguardar soluções criadas fora do país, empresas como a Suspensys apostam em pesquisa e desenvolvimento local. Com isso, criam soluções efetivas para as necessidades brasileiras e globais. Para desenvolver o e-Sys, inovação que impulsiona o mercado de veículos comerciais elétricos e híbridos, a Suspensys investiu em tecnologia de ponta e expandiu sua estratégia de atuação. A companhia estabeleceu uma cadeia de suprimentos dedicada para eixos trativos elétricos, integração, sistemas de controle e baterias de alta tensão.

Isso resultou na primeira fábrica de baterias de alta tensão e eixos elétricos do Brasil, fundamental para inserir a indústria nacional na eletromobilidade global. Além disso, o movimento também traz outros benefícios para o setor automotivo, já que a Suspensys tornou-se uma empresa de soluções em eletrificação, além de sistemas de suspensões e eixos.

2- Desenvolvimento de novos componentes e fornecimentos

O primeiro desafio para a produção do sistema e-Sys foi a estratégia de criação de uma nova frente de negócios para a Suspensys. Para fazer baterias dentro das necessidades e especificações de aplicação para o mercado brasileiro, e não depender 100% de conceitos e fornecedores internacionais, a empresa desenvolveu a arquitetura de hardware e software de sua própria bateria de alta tensão, culminando na criação de uma unidade de fabricação, a primeira no Brasil.

Dessa forma, a companhia otimizou tempo e custos que o desenvolvimento demandaria caso dependesse de soluções terceiras, implicando em uma alta necessidade de recursos financeiros, além de elevado tempo de integração e adequação.

“Buscamos fornecedores, desenvolvemos nosso sistema de softwares de bateria, importamos materiais, pois não há fabricas de células de baterias em escala produtiva industrial no Brasil, e desenhamos a primeira bateria para aplicação em semirreboque e que, também, poderão ser aplicadas em outros veículos”, conta Eduardo Manenti Vargas, diretor de Suspensões & Eletromobilidade da Suspensys.

Hoje, as baterias de alta tensão feitas pela Suspensys atendem não só ao e-Sys e à Randoncorp, como a outras demandas e mercados. Além de habilitar a empresa como um importante player na eletrificação e mobilidade sustentável.

Afinal, seja qual for a tecnologia em prol da redução de emissões – híbrido, plug-in, puramente elétrico ou célula de hidrogênio -, essas tecnologias demandarão uma bateria.

“Entramos nesse mercado para atender a todos os segmentos e clientes, trazendo tecnologia de ponta e estrutura para validação e desenvolvimentos customizados”, diz o executivo.

3- Mercado de veículos elétricos e híbridos: Inovação em baterias no Brasil

A Suspensys conta que, depois de todo o esforço para desenvolver suas baterias, chegou a um resultado competitivo e flexível. A empresa utiliza a combinação química de lítio, ferro e fosfato (LFP), mas, assim como as indústrias globais, está atenta a novas tecnologias, tais como novas químicas e formas.

“Vamos explorar o mercado com segurança. Estamos estudando outras composições químicas com melhor densidade e maior relação custo-peso-performance. Também realizamos testes com geometrias de células diferenciadas, sempre com foco em segurança e performance energética”, afirma o diretor.

4- Eletrônica embarcada como know-how nacional

Ao pensar no eixo elétrico, a engenharia da Suspensys percebeu que a tarefa não se limitava a um tripé eixo-motor-bateria. O sistema demanda controles precisos de funcionamento, tais como softwares e hardwares, atendendo diretivas da ISO 26262, sempre focados na segurança da aplicação.

Por meio de parcerias, a organização criou uma frente de desenvolvimento destes sistemas de controle. Hoje, a VCU (Vehicle Control Unit) da Suspensys é uma solução de eletrônica embarcada com o mesmo padrão de qualidade, segurança e performance utilizadas e comercializadas pelos grandes players globais do setor automotivo.

5- Novas soluções com etanol e energia solar

Os biocombustíveis, que muitas montadoras apostam como uma das rotas para a descarbonização, também estão na pauta da Suspensys. A hibridização com etanol está na prateleira de inovações da empresa. O uso do combustível de origem não fóssil tem capacidade para aumentar o alcance e autonomia do e-Sys. Melhor ainda: é uma fonte de energia mais limpa e sustentável, além da abundância de disponibilidade no mercado brasileiro, por se tratar de uma tecnologia madura.

6- Mercado de veículos elétricos e híbridos: De ponta a ponta com economia circular

Outro foco da Suspensys em prol da eletromobilidade e sustentabillidade está na segunda vida das baterias que a empresa produz. A prática de reciclagem das peças ainda não é uma unanimidade no setor e, por isso mesmo, a companhia desenvolve projetos e estudos para o reuso das baterias. O foco está principalmente na parte de infraestrutura e veículos de outros segmentos.

“Somos fabricantes e somos responsáveis. A bateria tem uma possibilidade de aplicação viável em infraestrutura de recarga, armazenagem e distribuição, como também em máquinas e equipamentos. Scooters, empilhadeiras, carrinhos de golfe, agricultura, energia solar são alguns exemplos”, adianta Eduardo Manenti Vargas.


7- Produção nacional supera gargalos logísticos

Toda essa inovação vem de desenvolvimento local. A Suspensys também se valeu do Instituto Hercílio Randon (IHR) e do Centro Tecnológico Randon (CTR) para construir tais soluções.

Para a fabricação de suas baterias, a Suspensys inaugurou sua nova e-plant. Com capacidade instalada inicial de 6 Megawatts, tem disponibilidade de expansão conforme demanda do mercado em crescimento. Além da produção de baterias, a unidade inaugurada no dia 12 de abril compreende a fabricação dos eixos elétricos, além de uma área de adaptação veicular para veículos elétricos e híbridos.

“Queremos ser a primeira escolha do mercado em soluções de eletrificação e hibridização para o transporte de carga e passageiros”, afirma o diretor da Suspensys.

Inovação da Suspensys é finalista do Prêmio Automotive Business 2023

Com o desenvolvimento e aplicação do e-Sys e sua e-plant, a Suspensys é finalista na categoria Fornecedores do Prêmio Automotive Business 2023. Você pode votar nas soluções de eletromobilidade da empresa aqui.

Opmerkingen


montadora
bottom of page