Brasileira Weg avança na era da eletromobilidade

Multinacional brasileira de eletroeletrônica já obtém 54% de seu faturamento líquido no exterior


Fundada em 1961 em Jaraguá do Sul, Santa Catarina, a brasileira Weg é um caso de destaque na indústria brasileira. Apesar da competitividade internacional e dos desafios locais, a empresa conquistou espaço de destaque na área de equipamentos eletroeletrônicos.


Hoje a companhia mantém operações industriais em 12 países e presença comercial em mais de 135. São mais de 35 mil colaboradores distribuídos pelo mundo. Toda essa presença garantiu faturamento líquido de R$ 23,6 bilhões em 2021, dos quais 54% provenientes das vendas realizadas fora do Brasil.


As soluções são as mais variadas, com atuação principalmente no setor de bens de capital com soluções em máquinas elétricas, automação e tintas, para diversos setores, incluindo infraestrutura, siderurgia, papel e celulose, petróleo e gás, mineração, entre muitos outros. Mas um dos mercados de maior oportunidade para a companhia está na eletromobilidade.


Foco na eletromobilidade


Ainda que o mercado de veículos elétricos esteja apenas nascendo no Brasil, a companhia já tem experiência considerável nessa frente. Desde 2019, é parte do E-Consórcio da Volkswagen Caminhões e Ônibus para produzir o e-Delivery, primeiro modelo elétrico produzido no Brasil.


A empresa também participa da produção de ônibus elétricos da Eletra e da Marcopolo. Recentemente, firmou parceria com a Jeep para fornecer wallbox, os carregadores domésticos, para o híbrido plug-in Compass 4xe.


Segundo a companhia, a capacidade de acompanhar o mercado com tanta velocidade vem do constante foco em inovação. Cerca de 2,7% da receita da empresa é reaplicada em pesquisa e desenvolvimento a empresa aponta que metade de seu faturamento é fruto das vendas de produtos lançados nos últimos cinco anos. Ou seja, a inovação gera receitas.


Foco em veículos elétricos vem do passado


Antes mesmo da nova onda da eletromobilidade chegar, a companhia já carregava reputação nessa área. A Weg tem tradição no fornecimento de sistemas de tração (powertrain) elétrica para ônibus, caminhões, trólebus, trens, navios e embarcações. Mas é sempre bom lembrar que o tema mobilidade elétrica não se restringe somente aos veículos elétricos, mas também a toda infraestrutura necessária para isso.

Estações de recarga, rede de distribuição mais robusta, com transformadores, geração distribuída e armazenamento de energia, especialmente no Brasil. E a Weg garante ter soluções para toda essa cadeia.

As estações de recarga para veículos elétricos, por exemplo, têm ganhado espaço no mercado.


Recentemente a companhia se tornou fornecedora oficial de pontos de reabastecimento da Renault, Peugeot, Citroën e Fiat no Brasil. No exterior, já iniciou exportação para a Argentina, para atender os veículos elétricos da marca DS do Grupo Stellantis.


Além disso, há oferta de walboxes, os carregadores domésticos, que entrarão para o catálogo de vendas das concessionárias. Lançada em 2019, a linha de estações de recarga tem opções para diferentes necessidades e configurações, com recarga lenta, semirrápida, rápida e ultrarrápida, com potências de 7,4 a 150 kW.


A empresa destaca também a Wemob Management Platform, direcionado para os frotistas e operadores de redes de estações de recarga, e a Wemob EV Drivers, aplicativo para smartphone que permite aos usuários de veículos elétricos localizar, saber se está disponível, fazer uma reserva e acompanhar toda a recarga do seu veículo elétrico a distância.


A experiência do E-Consórcio da VW Caminhões


O e-Consórcio e seus oito parceiros, entre os quais a Weg, foram oficialmente formalizados em outubro de 2019, mas a maioria dos participantes já estava envolvida no projeto do primeiro caminhão elétrico VW do mundo, o e-Delivery de 11 toneladas. O primeiro protótipo foi apresentado em outubro de 2017 já com vários componentes fornecidos por empresas que agora estão juntas no consórcio. É o caso da WEG, que projetou o motor elétrico.


O fim do segundo trimestre de 2021 marcou o início da produção em escala comercial do e-Delivery na planta de Resende. As primeiras 100 unidades do modelo de 14 toneladas já foram encomendadas pela Ambev, que nos últimos três anos rodou cerca de 30 mil quilômetros em testes com o modelo para entrega de bebidas na cidade de São Paulo. A fabricante de bebidas assinou também uma intenção de compra de 1,6 mil caminhões elétricos Volkswagen para substituir um terço de sua frota até 2023.


Segundo a VW Caminhões, o powertrain oferece até 300 kW de potência e dispensa o uso de transmissão devido a seu alto torque transmitido de forma imediata ao eixo trativo. Ainda de acordo com a montadora, a mesma força que dispõe para acelerar ocorre na frenagem de regeneração.


Parceria com a Embraer para aviões elétricos


A companhia estabeleceu parceria com a Embraer para o desenvolvimento de um pioneiro avião demonstrador de tecnologia de propulsão 100% elétrica, que possui um esquema de pintura especial, com tintas da Weg, e está preparado para receber os sistemas e componentes.


O motor e inversor da aeronave estão em produção pela marca, na sede da empresa em Jaraguá do Sul (SC), como parte do acordo de cooperação científica e tecnológica para desenvolvimento em conjunto de tecnologias de eletrificação.