Crise dos semicondutores e inflação fazem consórcios de carros crescerem


[Fonte: Garagem 360]

O setor automotivo passa por uma forte crise esse ano. A alta do dólar e a falta de semicondutores automotivos fez o preço dos automóveis disparar. Como consequência, os consórcios de carros cresceram. Confira as informações!



consórcios de carros cresce com a crise automotiva (Foto: Pixabay)

Consórcios de carros crescem em 2021 devido a crise de setor automotivo


A falta de microchips semicondutores e a alta da inflação no Brasil fizeram com que o preço de automóveis novos e seminovos subisse em 2021. Para ilustrar, grandes montadoras como a Hyundai, com fábrica em Piracicaba, já pararam as linhas de produção.

O cenário faz com que os carros usados e seminovos se tornem mais atrativos, bem como os consórcios, uma modalidade tradicional para aquisição de bens com valor mais alto e que ajuda no planejamento financeiro.

Para ilustrar, segundo dados da Abac (Associação Brasileira dos Administradores de Consórcio), em setembro, o setor atingiu um número de 4 milhões de participantes ativos, registrando um aumento de 6,3% em relação ao mesmo mês em 2020. Para Fernando Lamounier, diretor da Multimarcas Consórcios, uma das maiores administradoras consorciais do país, a perspectiva é que o setor continue crescendo.

“Grande parte das pessoas que buscam consórcio para compra de veículos visa trocar o carro e melhorar o padrão. A tendência é que a situação dos veículos novos impulsione o segmento, aumentando ainda mais a quantidade de cotas”, explica.

Como funciona o consórcio

Uma das maiores vantagens da modalidade é que, diferentemente dos financiamentos tradicionais, ao adquirir um carro por um consórcio, não existem juros, somente as taxas de administração. Além disso, não é necessário pagar um valor de entrada e há maior flexibilidade no pagamento das cotas.


é preciso entender as diferenças entre o consórcio e o financiamento (Foto: Pixabay)


Nesse sentido, fica mais fácil evitar o risco de endividamento a longo prazo. Ainda, visto a situação de crise no setor automobilístico, ao adquirir uma carta de crédito, o contemplado terá a oportunidade de adquirir o bem quando os impactos dos problemas não forem mais tão perceptíveis.

Entretanto, para o executivo, é necessário entender que, nesse tipo de empreendimento, é necessário planejamento. “Por essência o consórcio já é um tipo de investimento e que permite a organização financeira e isso se torna essencial no momento de instabilidade econômica que vivemos”, pontua.

É importante notar também que muitas administradoras de consórcio restringem essas transações levando em consideração a idade do veículo. Segundo Lamounier, “em grande parte das administradoras, somente carros mais novos, de 2016 para frente, podem ser adquiridos.”

Além disso, é preciso ter em mente que, diferente de um financiamento tradicional, a carta de crédito dos consórcios de carros não são liberadas de forma imediata. O prazo para conseguir a mesma pode variar entre dias e longos meses.

Crise dos 0 km afetou os seminovos e usados

A crise citada não impactou apenas no crescimento de formas de financiamento. Ela também atingiu de forma direta o segmento de seminovos e usados. Com a alta e o maior prazo para adquirir um carro 0 km, quem deseja adquirir um veículo adotou como segunda opção o setor de seminovos. Esse, com o superaquecimento, também anotou alto nos preços.