Empresa cria novo método de reciclagem de baterias de veículos elétricos


[Fonte: Defesa]

À medida que a popularidade dos veículos elétricos cresce no mundo e conquista mais consumidores, o mesmo acontece com a grande quantidade de baterias que movem estes carros.


Dessa forma, não é possível negar que a principal forma de combater isso é através da reciclagem, no entanto, os métodos usados para reciclar baterias de veículos elétricos ainda não são adotados em todo o mundo, devido a muitas dificuldades presentes em todo o processo que envolve essa prática. Muitas dificuldades econômicas e desafios ligados a como definir qual o melhor processo de reciclagem ainda são comuns no mundo todo.


Ainda assim, uma empresa no Japão, chamada de Sumitomo Metal Mining, descobriu e revelou ao mundo um novo método para reciclar de forma eficiente as baterias dos veículos elétricos que foram descartadas, o que tornará possível utilizar novamente a maioria dos componentes e materiais presentes nestas peças.


Segundo os executivos da Sumitomo Metal Mining, essa companhia foi capaz de desenvolver um processo barato para extrair os materiais de cobre, níquel, cobalto e lítio que estão presentes nas baterias dos automóveis elétricos.


De acordo com o anúncio feito pela empresa, o processo de reciclagem envolve a destruição das baterias, o aquecimento do material que resulta desta destruição e o controle dos níveis de oxigênio neste procedimento.

O método, conforme revelou a empresa, é o primeiro deste gênero a ser criado em todo o mundo e, por isso, representa uma grande inovação neste ramo.

Por enquanto, a empresa planeja utilizar pequenos volumes de baterias destruídas e usar os materiais recuperados para a produção de novos elementos.

Segundo ela, seus funcionários já estão no caminho certo para extrair estes materiais a um custo-benefício bastante elevado.

Com o sucesso do novo método de reciclagem, a empresa revelou que tem planos de abrir uma fábrica de reciclagem no Japão até o ano de 2023, a qual terá uma capacidade para processar a incrível quantidade de 7 mil toneladas de baterias destruídas a cada ano, o que é suficiente para extrair 200 toneladas de cobalto delas.

De acordo com a empresa, essa quantia é suficiente para ser utilizada em 20 mil veículos elétricos. Além disso, este material também poderá ser destinado a diversas outras áreas da tecnologia.