• G1

Fenabrave reduz projeção de vendas de veículos em 2021

Persistente escassez de semicondutores tem provocado crise de abastecimento.


Apesar de os dados do acumulado de janeiro a setembro revelarem que as vendas de veículos estão em recuperação em relação ao primeiro ano da pandemia, a falta de automóveis no mercado, provocada pela persistente escassez de semicondutores, já leva os dirigentes do setor a rever suas projeções para este ano.


A Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave), que representa os concessionários, divulgou nesta segunda-feira (4) uma nova estimativa de vendas em 2021, de 2,15 milhões de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. Isso representa crescimento de 4,8% na comparação com 2020. A projeção anterior, feita em julho, porém, era de crescimento bem maior, de 11,6%.

A Fenabrave iniciou 2021 com expectativa de encerrar o ano com um mercado de 2,38 milhões de veículos, o que representaria um aumento de 16% na comparação com 2020. Mas como a falta de componentes – principalmente para a produção de automóveis – persistiu ao longo dos meses e está longe de terminar, a entidade refez os cálculos.

“VIVEMOS, HOJE, POSSIVELMENTE, O PONTO MAIS CRÍTICO DA CRISE DE ABASTECIMENTO”, DESTACOU O PRESIDENTE DA FENABRAVE, ALARICO ASSUMPÇÃO JÚNIOR.

As vendas de veículos registraram queda em setembro. Foram licenciadas 155 mil unidades, o que representou retração de 25,33% na comparação com o mesmo mês de 2020. O segmento de automóveis foi o que registrou o maior impacto da falta de componentes, com retração de 32,28%.

No acumulado dos nove meses até setembro, o emplacamento de 1,57 milhão de veículos representou uma alta de 14,78% em relação ao mesmo período do ano passado.