top of page
  • Vrum

Hyundai Azera 2011: 10 pontos para quem procura um usado


Hyundai Azera modelo 2011 tem motor 3.3 litros de 265cv

Foto: Hyundai/Divulgação

Fonte: (Vrum)


O segmento de sedans médio-grandes já foi bem divertido. Antes de o povo só querer saber de SUV, havia modelos bem equipados, confortáveis e com uma dose de sofisticação – sem ser obrigatoriamente de marcas de luxo. O Hyundai Azera foi um desses.


Carroceria do Azera 2011 tem belas linhas aerodinâmicas

Foto: Hyundai/Divulgação


Lançado em 2007, veio buscar o mesmo espaço trilhado pelo Ford Fusion no segmento. Assim como o modelo da Ford, o Hyundai Azera apostou – e se deu bem – na relação custo/benefício e na estratégia de oferecer espaço e equipamentos de um sedan superior ao preço dos modelos médios da época.


O sedan tem acabamento de qualidade e boa lista de equipamentos

Foto: Hyundai/Divulgação


O modelo vendeu bem na primeira geração e também manteve certa regularidade de emplacamentos na segunda fase importada para cá. Contudo, o advento dos SUVs fez a categoria minguar. Mas no mercado de usados o Hyundai Azera está entre os mais buscados, especialmente os de ano 2011.


1 – Saiba um pouco da trajetória do Hyundai Azera


O Hyundai Azera foi lançado em outubro de 2007. Feito na Coreia do Sul sobre a plataforma Y5 do Grupo Hyundai, estreou com o motor V6, que inicialmente gerava 234cv. Na linha 2011, passou por uma reestilização e o mesmo propulsor ganhou 20cv, enquanto o câmbio passou a ser de seis marchas.

Também chamado de Grandeur em outros mercados, em 2012, o Hyundai Azera foi substituído por uma segunda geração. Esta chegou com motor 3.0 litros V6 de 250cv, mas não repetiu o sucesso por aqui.


2 – Vendeu bem no mercado brasileiro


Para um carro sul-coreano, ou seja, importado de um país sem acordos bilaterais para alívio de impostos como ocorria com o Fusion (que vinha do México), o primeiro Hyundai Azera vendeu bem. E incomodou o rival da Ford, além de deixar bem para trás carros tradicionais como Honda Accord, Toyota Camry e Volkswagen Passat.


O Azera 2008 tinha desenho mais careta, típico dos sedans da época

Foto: Hyundai/Divulgação


Em 2009, no seu segundo ano cheio de vendas, foram 7.620 unidades comercializadas pelos dados da Fenabrave. No ano seguinte, outras 7.267. Emplacamentos sempre no encalço dos do Fusion.


Em 2011, um dos melhores desempenhos comerciais do Hyundai Azera. O modelo anotou 9.586 unidades vendidas. Continuou na vice-liderança do segmento, mas ficou só mil unidades atrás do rival da Ford.


3 – O sedan não decepciona no desempenho


O V6 confere números interessantes ao Hyundai Azera. Já na linha 2011, a potência do motor 3.3 litros da família Lambda passou de 245cv para 265cv – o torque se manteve em 31kgfm a 3.500rpm. Mesmo assim, o desempenho é de sedã tradicional. Ou seja, o motorista percebe que o carro esbanja força, mas a proposta é mais suave do que esportiva.


As acelerações têm um pequeno delay no Hyundai Azera e o próprio câmbio automático de seis marchas – antes da linha 2011 era de cinco – dosa esse comportamento. As retomadas seguem a mesma lógica. Testes da época apontam aceleração até 100km/h em 8,7 segundos.


Em 2010, o modelo passou por discreta reestilização, ganhando faróis afilados

Foto: Hyundai/Divulgação


4 – Seu vício é beber muito


Como é de se esperar para um V6 em um carro com mais de 1.600kg, o Hyundai Azera vai com bastante sede ao pote. Avaliações da época apontam para médias na cidade de 7km/l e abaixo de 11km/l na estrada.


5 – Ao volante do sedan feito na Coreia do Sul


O Hyundai Azera se destaca por conseguir conciliar dinâmica apurada com conforto. A carroceria tem acerto firme, assim como a suspensão, mas isso não significa batidas secas ao passar por buracos. O refinado jogo independente, com braços sobrepostos na frente e multibraço atrás, isola bem as imperfeições da pista.

Nas curvas da estrada, a carroceria confirma a boa rigidez, sem oscilações. Já a direção com assistência elétrica não é tão direta, apesar de ser uma delícia na hora de estacionar.


6 – Acabamento é destaque no Hyundai Azera


Um dos pontos altos do Hyundai Azera, especialmente de 2011 em diante. Na época de comercialização, a marca até o comparava a modelos da Mercedes-Benz e BMW. Nem tanto, mas também estava muito acima das fabricantes generalistas e que os rivais do segmento.


Isso é percebido na cabine, com acabamento cinza claro e detalhes de madeira no volante, no painel e no console central, onde há também acabamento de alumínio decorado. Os bancos são revestidos em couro e outros caprichos estão em detalhes, como o para-sol de tecido perfurado com abas para proteger as laterais e as teclas dos comandos no volante em alto relevo.


7 – Não falta conforto para motorista e passageiros


Mais um argumento a favor do Hyundai Azera. O sedan tem 4,89m de comprimento e 2,78m de distância entre-eixos, o que significa espaço de sobra para cinco ocupantes.


Saídas de ar-condicionado para o banco traseiro, cortina nas janelas e porta-copos ainda podem fazer o carona de trás pagar de patrão. Só o porta-malas decepciona, com 469 litros, apenas regular para a categoria onde o Hyundai está posicionado.


8 – Boa lista de equipamentos do sedan


O Hyundai Azera 2011 era vendido em duas opções de acabamento, sem nomes definidos. Na segurança, toda a linha tem oito airbags (frontais, laterais dianteiros e traseiros e para cabeças), controles eletrônicos de tração, estabilidade e subidas, retrovisor eletrocrômico e sensor de estacionamento.


O ar-condicionado é automático de duas zonas, há sensores de chuva e crepuscular e espelhos aquecidos. Na versão mais recheada vinham mimos bacanas, como bancos dianteiros e coluna de direção com comandos elétricos. Ao se pressionar o botão da memória, ela guarda a posição do assento, do volante e dos espelhos retrovisores externos.


Nesta versão completa ainda tem faróis de xenônio, teto solar e som premium Infinity, com disqueteira para seis CDs, subwoofer e entrada USB.


9 – Detalhe interessante dos vidros fotocromáticos


Você está cansado de ler sobre os espelhos eletrocrômicos, que escurecem conforme a intensidade de luz, ótimo para o motorista se proteger dos ceguetas atrás com farol alto. Só que o Hyundai Azera tem algo parecido em suas janelas.


O sedan da Hyundai é dotado de vidros fotocromáticos. Eles variam a transparência em função da intensidade da luz do dia, o que alivia o calor interno, o sol em cima dos ocupantes e ainda otimiza a climatização na cabine. Mas se o usado que você estiver de olho tiver películas escuras nos vidros, de nada adianta.


10 – Manutenção e um dos principais problemas do Hyundai Azera


A manutenção de um carro como o Hyundai Azera é cara e as peças não são fáceis de achar. Veja alguns preços:

  • Jogo de pastilhas de freio dianteiro: de R$ 280 a R$ 400

  • Kit com seis velas de ignição: de R$ 350 a R$ 600

  • Kit óleo (seis litros 5w30 + filtro): de R$ 350 a R$ 520

  • Bomba de combustível (completa): de R$ 1.200 a R$ 1.900

  • Jogo de amortecedores traseiros: de R$ 700 a R$ 1.200

  • Farol dianteiro: de R$ 1.300 a R$ 2.300 (os mais caros são os de xenônio)

  • Para-choque traseiro: de R$ 1.300 a R$ 2.000

Fique atento a alguns problemas comuns no Hyundai Azera. Principalmente em relação ao câmbio automático de cinco marchas. Se estiver dando trancos incomuns, é sinal de alerta.

Como a manutenção do Hyundai Azera sempre foi cara, fique atento ao histórico de manutenção. Em especial no que diz respeito às trocas de lubrificante do motor e da transmissão, não só quanto ao respeito aos prazos, mas também às especificações dos óleos recomendados pela fabricante. Freios esponjosos e barulhos na suspensão dianteira também devem ser observados.

O Hyundai Azera teve dois recalls de unidades vendidas no Brasil. Um para troca do interruptor das luzes do freio em modelos produzidos em 2010, e outro para substituição do relê do ABS em carros fabricados entre 2007 e 2011.

Comentarios


montadora
bottom of page