Montadoras estrangeiras abrem raro espaço no Japão após crescente demanda por carros elétricos


[Fonte: Olhar Digital]

No Japão, 90% dos cinco milhões de carros vendidos por ano pertencem a empresas como Toyota e Honda. O entendimento geral é de que as marcas domésticas atendem melhor às exigências do país. Menos quando se trata de carros elétricos, segundo pesquisa recente da Associação de Importadores de Automóveis do Japão e divulgada pela Reuters.


De acordo com o levantamento, os fabricantes locais ficam para trás no mercado de carros elétricos, o que abre (um raro) espaço para montadoras estrangeiras no país. A empresária Narumi Abe, por exemplo, preferiu um Peugeot e-208 (no detalhe da imagem principal) a um Honda e porque o carro da Stellantis possui uma melhor autonomia. “Queria comprar algo que fosse melhor para o meio ambiente”, disse ela, em entrevista à Reuters.


No presente, os elétricos representam uma parcela pequena de carros zero km no Japão. Ainda assim, segundo informações da Associação de Importadores de Automóveis do Japão, o número de carros elétricos importados mais do que duplicou em 2021 em comparação ao ano anterior.


E a tendência é de que essa subida continue, uma vez que, num contexto de queda de vendas de carros no Japão — o recuo foi de 3,2% no ano passado —, a comercialização de modelos estrangeiros subiu 1,7%, puxada justamente pelo crescente (mas ainda discreto) interesse nos elétricos.



Número de carros elétricos registrados no Japão subiu para 8.610 em 2021 (Fonte: Associação de Importadores de Automóveis do Japão/ Crédito da imagem: Reuters)

Tesla e Volkswagen são os mais populares no Japão

Dos 8.610 carros elétricos vendidos no Japão, mais da metade são da Tesla, seguida de perto pela Volkswagen. A montadora alemã, nesse sentido, planeja vender mais de uma dúzia desses modelos no país até 2024, incluindo SUVs esportivos da Audi e carros mais baratos da própria Volks.


A Stellantis, dona da marca francesa Peugeot, também vai expandir sua linha no Japão, com dois novos modelos prontos para sair neste ano. Já a Hyundai afirmou que vai voltar a comercializar carros no país 12 anos após sair por conta de vendas ruins. Por lá, a montadora sul-coreana vai oferecer o SUV Nexo, movido a célula de combustível de hidrogênio, e o crossover midsize Ioniq 5, 100% elétrico.