Salão do Automóvel acabou. Anfavea anuncia o São Paulo Motor Experience


|Fonte: Automotive Business|

Evento muda de nome para acompanhar nova proposta com foco na experiência dos visitantes


O Salão do Automóvel passará a se chamar São Paulo Motor Experience a partir da edição deste ano, programada para ocorrer em agosto no Autódromo de Interlagos, como antecipou Automotive Business.

Com isso, o maior evento do setor automotivo do país muda de nome pela primeira vez desde 1960.


De acordo com Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea, o novo nome acompanha a evolução do formato do evento. “Sai de cena o modelo estático e indoor e entra um modelo que oferece uma maior interação do visitante com os produtos em exposição”, disse o representante na segunda-feira, 7.


Ele disse, ainda, que a Anfavea e a organizadora do evento, a RX, recorreram às novidades apresentadas por outros grande eventos setoriais, como a CES Las Vegas, em Los Angeles, nos Estados Unidos, e o Salão de Munique, na Alemanha, para desenhar o novo formato da mostra brasileira.


Promessa de mais sustentabilidade e inclusão


Segundo o presidente da Anfavea, o São Paulo Motor Experience será um festival com shows, debates, apresentação de novas tecnologias, exposições, e, claro, muita experiência com automóveis. “O consumidor poderá agendar test drives na pista ou off road por meio do aplicativo do evento. Devemos ter mais de 100 mil testes”, conta Moraes.


Com esse formato, o evento pretende dar um salto e incorporar demandas cada vez mais presentes na sociedade, como a necessidade de promover uma mostra mais inclusiva e atrativa a diversos públicos. “Essa já é uma preocupação incorporada pelas montadoras e que vai se refletir no São Paulo Motor Experience”, assegura Moraes.


Outra prioridade, aponta a Anfavea, é a sustentabilidade. A entidade conta que o evento será o mais sustentável possível e neutro em carbono, com ações de compensação das emissões.


Pandemia postergou realização do evento


O evento volta a ser realizado após quase quatro anos. Em 2020, antes mesmo da pandemia, o agora São Paulo Motor Experience passava por uma crise: as montadoras queriam que o evento tivesse custo mais baixo e formato mais atual. Com isso, o evento que aconteceria naquele ano foi adiado para 2021. Logo em seguida a pandemia de coronavírus ampliou o hiato da mostra.


Na sua última edição, em 2018, o Salão aconteceu no São Paulo Expo, o antigo Pavilhão de Exposições Imigrantes, à margem da rodovia Imigrantes, na zona Sul da capital. O público chegou a 750 mil pessoas, com crescimento de 4,5% sobre a edição anterior, realizada em 2016.


De acordo com a Reed Exhibitions, em 2018, o Salão do Automóvel gerou 30 mil empregos temporários e trouxe impacto positivo de R$ 320 milhões para a cidade de São Paulo, incluindo gastos de turistas e impostos arrecadados.


Uma fonte informada sobre o evento já anunciou que há seis montadoras com participação confirmada na mostra. Publicamente, por enquanto apenas a BMW deu certeza da sua presença na edição deste ano.


Renault, Stellantis e Volkswagen seguem em negociação. General Motors diz estar fora. “Não sabemos qual é o posicionamento de cada uma das empresas, mas há um movimento grande de negociação para participar do evento”, diz Moraes, confirmando o interesse as fabricantes em participar da estreia do novo formato e nome da mostra.