Setor automotivo brasileiro registra queda de 26,2% no primeiro bimestre de 2022

Emplacamento de importados cresceu 10,8% no primeiro bimestre de 2022


O setor automotivo brasileiro registrou queda de 26,2% no número de emplacamentos no primeiro bimestre de 2022 quando comparado com o mesmo período de 2021. Por outro lado, o emplacamento de automóveis importados cresceu 10,8% no primeiro bimestre deste ano em relação ao 1º bimestre de 2021.


De forma geral, o setor automotivo fechou o bimestre em queda e foi impactado por alguns fatores. “O cenário mostra que o setor foi impactado, principalmente, na corrosão do poder de compra do consumidor, encarecimento do crédito e aperto na aprovação de crédito”, destaca o presidente da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa), João Oliveira.


Além disso, segundo a avaliação do presidente da associação, o setor continua sendo impactado pela falta de insumos de produção, como o semicondutor.


Apesar disto, em 2021 foram emplacados 1.974.678 automóveis e comerciais leves (fabricados no Brasil e importados). A quantidade representa uma leve alta de 1,2% frente ao ano anterior, que emplacou 1.951.031 veículos.


Para Oliveira, o ano de 2021 foi bastante desafiador ao setor. “A pandemia elevou a pressão no mercado e, com a pressão cambial operando em bastante desvalorização, dificultou os negócios internos. Quando se somam problemas de abastecimento de componentes para fabricação de carro lá fora, é uma combinação muito difícil”, ressalta o presidente da Abeifa.


Além disso, o presidente da Abeifa lembra que o chicote elétrico produzido na Ucrânia pode gerar instabilidade na produção “Tem que observar potenciais interrupções na cadeia produtiva. Estamos atentos para entender o que pode trazer de impactos”, diz.


Já as projeções para 2022 são melhores. “A gente entende que o fundo do poço já chegou. Agora deve, gradualmente, começar a experimentar melhoras no setor”, avalia Oliveira.


Importações

Ano a ano, o número de importações brasileiras de automóveis e comerciais vem apresentando queda. Com a alta do dólar, paralelamente o número dessas importações estão reduzindo. De 2011 para 2021, 10 anos, as importações reduziram em 71.23%.