Venda de carros usados cai 30% no primeiro bimestre

Perda de renda do consumidor e maior seletividade na concessão de crédito explicariam recuo no mercado de segunda mão

A venda de automóveis e comerciais leves usados em fevereiro somou 607 mil unidades, o que representa pequena queda de 1,1% em relação a janeiro, que teve mais dias úteis. Porém, no bimestre, foi negociado 1,22 milhão de veículos leves, uma queda de 30% na comparação interanual. Entre janeiro e fevereiro a média diária subiu de 29,2 mil para 31,9 mil transações.


Os números foram divulgados na quarta-feira, 9, pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários. A retração no bimestre teria como explicação a perda de renda das famílias e maior seletividade de crédito, mas vale dizer também que a venda de carros usados foi muito boa durante 2021 como reflexo de paralisações nas fábricas e falta de veículos novos. Assim, a comparação do bimestre atual se dá com uma base alta.


Para as próximas semanas a Fenabrave acredita que a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado dos veículos novos sirva como estímulo para o segmento de carros usados, uma vez que um modelo de segunda mão quase sempre entra como parte de pagamento do zero-quilômetro.


De acordo com a Fenabrave, para cada veículo leve zero-quilômetro emplacado em fevereiro foram negociados 5,1 de segunda mão.


No bimestre, 41,7 mil caminhões usados


Fevereiro teve 21,2 mil transferências de caminhões usados, com leve alta de 3,4% sobre janeiro. Do primeiro para o segundo mês, a média diária de transações subiu de 975,5 para 1.115 unidades. E a cada caminhão novo emplacado, 2,7 usados trocaram de mãos. No bimestre foram 41,7 mil unidades, registrando queda de 27,9% na comparação com os dois primeiros meses de 2021.


Vale dizer que o mercado de caminhões usados teve crescimento ainda mais expressivo em 2021 que o de veículos leves, o que explica a retração quando se comparam os começos de ano.


Maior alta ocorreu em ônibus: 28,1%


O segundo mês do ano teve 3,1 mil ônibus usados negociados, alta de 28,1% sobre janeiro, a maior de todos os segmentos. A cada zero-quilômetro entregue foram vendidos 2,7 ônibus usados, mesma proporção anotada nos caminhões. No bimestre foram 5,5 mil veículos e ligeira queda de 1,8% ante iguais meses do ano passado – neste caso, a menor retração entre todos os diferentes tipos de veículos.


Em 2022 se espera uma recuperação mais forte na atividade turística, o que deve aquecer tanto o mercado de ônibus novos como o de usados. O transporte de passageiros foi o mais afetado pela Covid-19 desde o início da pandemia, no primeiro semestre de 2020.


Motos: mais de 390 mil unidades em dois meses


As transações de motos usadas em fevereiro somaram 196,1 mil unidades, com crescimento abaixo de 1% sobre janeiro, mas a média diária saltou de 9.264 para 10.319. A cada moto zero emplacada em fevereiro foram transferidas 2,6 usadas.


A venda bimestral somou 390,6 mil motos usadas e indica retração de 23,5% na comparação com iguais meses de 2021. As motos usadas também bateram recorde de vendas em 2021 e a retração nestes dois primeiros meses de 2022 é compreensível. A demanda por usadas tende a crescer nas próximas semanas pela escassez de novas, já que a Yamaha, segunda maior fabricante do País, terá seu ritmo de produção reduzido até o fim de maio por falta de peças.