top of page

Vendas de veículos têm melhor janeiro desde 2021

Fonte: Automotive Business


Balanço da Anfavea aponta que média diária de licenciamentos superou as 7,5 mil unidades no primeiro mês de 2024


O volume de vendas de veículos no Brasil atingiu o melhor janeiro dos últimos três anos. Segundo a Anfavea, entidade que reúne as fabricantes do setor, o primeiro mês de 2024 teve mais de 161 mil licenciamentos.


Desta forma, as vendas totais de veículos em janeiro superaram em 13% o volume anotado no mesmo mês de 2023. Desde 2021, quando foram negociados 171 mil unidades, que o ano não começava tão bem para os negócios. Na comparação com dezembro de 2023, porém, houve queda de 35%.


Chama a atenção o crescimento também das médias diárias. O balanço da entidade mostra que foram 7,6 mil unidades vendidas por dia em janeiro de 2024, aumento de 17% em relação às 6,5 mil unidades/dia do ano passado.


Já os estoques, de acordo com a Anfavea, se mantêm estagnados. São 40 dias (25 nas concessionárias e 15, nas fábricas) e 216 mil veículos verificados em janeiro de 2024 contra 39 dias e 210 mil unidades em dezembro de 2023.


Comerciais puxam as vendas de veículos leves


No recorte de veículos de passeio e comerciais leves, as vendas somaram mais de 152 mil unidades, 16% a mais que em janeiro de 2023. Destaque para a categoria de comerciais. Puxada especialmente pelas picapes, o segmento superou as 33 mil unidades no primeiro mês de 2024, 26% a mais na comparação ano a ano.


Outro “marco” em janeiro está nas vendas de veículos importados. Os modelos estrangeiros responderam por 20% dos licenciamentos totais, a maior participação dos últimos 10 anos e motivo de reclamação por parte da Anfavea.


Dos 31,5 mil automóveis e comerciais leves importados emplacados, o maior mix ainda é da Argentina, com 46%. Porém, a China continua a despontar como grande exportador de veículos para o Brasil e respondeu por 25% do volume de “estrangeiros” vendidos em janeiro.


Anfavea torce para que Fenabrave esteja errada


Durante a coletiva online para revelar os resultados, o presidente da Anfavea, Marcio de Lima Leite, foi questionado sobre as projeções de vendas de veículos da entidade, de 7% de aumento em 2024 em relação a 2023.


Indagado se tais não eram conservadoras, ainda mais se comparadas às expectativas da Fenabrave (a associação de concessionárias, que fala em 12% de crescimento), o executivo foi pragmático. Mesmo com o melhor janeiro desde 2021 e com as boas vendas no início de fevereiro – foram 10 mil licenciamentos só na quarta-feira, 7.


“Espero que a projeção da Fenabrave esteja errada, para baixo, e excessivamente conservadora. O Brasil pode chegar sim a crescimento de 10%, mas temos uma questão de sazonalidade”, afirmou Marcio, que usou a participação histórica de janeiro para justificar as tímidas projeções.


“Historicamente o mês de janeiro representa 6,7% dos nossos emplacamentos, e janeiro passado representou 6,4% da nossa previsão. A sazonalidade está um pouco abaixo do que o tradicional para o que o mês de janeiro representa na composição do ano”, justificou.

Comentarios


montadora
bottom of page